Comunicação, Mídia e Engajamento Social (CEDCA-MA)

Assessorar o Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente do Maranhão (CEDCA) com o objetivo de organizar a sua comunicação com a sociedade em geral e em especial com os seus principais públicos-alvo. Visa fortalecer e posicionar a sua marca e atuação na defesa dos direitos de crianças e adolescentes no estado e proporcionar a estudantes e profissionais de Comunicação  e de áreas diversas, incluindo atores do Sistema de Garantia de Direitos (SGD), a discussão de temas relevantes para a construção de uma sociedade que respeite os direitos humanos das crianças e dos adolescentes.

O  desenvolvimento do projeto se dará em duas frentes que ocorrerão simultaneamente, sendo elas: a Assessoria de Comunicação e a Assessoria de Imprensa. A primeira visa estabelecer a maneira como o CEDCA organizará o seu discurso sobre os diferentes temas relacionados à infância e adolescência, quais serão as mensagens-chave, que públicos serão priorizados e quais meios serão utilizados para que haja um fluxo de comunicação permanente e positivo. Nesse sentido, serão trabalhadas ainda questões relativas ao marketing e à publicidade, especialmente nos formatos para redes sociais e rádio.

Já a Assessoria de Imprensa cuidará de estabelecer uma estreita relação entre o CEDCA e os principais veículos de comunicação visando propor pautas de interesse do Conselho para que sejam publicadas espontaneamente, assim como apresentar o Conselho como fonte segura de informação para reportagens produzidas pela mídia visando ocupar espaços antes negligenciados.

Além disso, serão produzidos materiais (textos, vídeos, áudios) para o site institucional do CEDCA; realizado treinamento de mídia para que os porta-vozes do Conselho possam tirar maior proveito das oportunidades de entrevistas;  proporcionar, por meio de rodas de diálogos, aos estudantes, bem como aos profissionais de outras áreas, incluindo atores do SGD, a discussão de temas relevantes para a construção de uma sociedade que respeite os direitos humanos das crianças e dos adolescentes; ampliar o debate, promover a troca de conhecimentos; democratizar a informação e contribuir para a produção de pautas mais contextualizadas, humanizadas e baseadas nos princípios estabelecidos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Print Friendly
Top